O que faz uma empresa prosperar enquanto outras não conseguem sobreviver?

Já houve o ciclo do produto, do marketing, da estratégia, de custos, etc. Mas estudando os casos de Empresas que atingem um nível de excelência e conseguem se manter neste patamar, encontramos uma linha em comum…

Sua cultura , ou a cultura implementada pelas pessoas que fazem a gestão do negócio.

A cultura da empresa é o real diferencial por trás do sucesso do produto, marca, custo ou gestão.

E o processo que forma esta cultura pode ser estudado, aprendido e copiado.

A aplicação da cultura nos diferentes setores da empresa alinha o esforço global dos grupos e foca em um objetivo comum, potencializando resultados.

Abaixo procurei resumir os pontos onde podemos agir de forma a garantir que uma cultura saudável gere crescimento sustentável para a empresa:

 Foco:

  • Um objetivo desafiante e estimulante deve ser compartilhado !
  • Como diz a lenda, você pode simplesmente cortar pedras, ou participar da construção de uma catedral.
  • Ninguém é bom em tudo; concentre-se no que você faz de melhor e delegue o resto. Delegar não é delargar. Follow up é essencial.
  • Não complique, escolha o simples;  se tiver que explicar uma piada, é porque ela não tem graça mesmo.
  • Mantenha um fluxo constante de informações. Equipe consciente trabalha alinhada com a estratégia definida.

 Pessoas:

  • Sem gente boa sua equipe patina. Atenção no recrutamento e retenção de seu pessoal.
  • Escolher gente melhor do que si e desenvolve-las é ocupação do gestor profissional, e não pode ser delegada.
  • A liderança só é eficaz se for seguida por seu exemplo pessoal.
  • Transparência facilita decisões e minimiza conflitos.

Ética:

Espertezas e malandragens são ativos de vida curta. Invista em solidez. Ética e compromisso geram engajamento.
  • Nome, reputação e marca precisam de décadas para se construir, mas, se destroem velozmente se não tratadas com ética e respeito.
  • Discrição corporativa só ajuda. Se tiver que aparecer, que seja para deixar algo construtivo.
  • Sorte é resultado de suor e trabalho. Trabalhe duro, mas, com alegria.

Inovação:

  • Inovação que agrega valor é útil, mas, evite começar do zero. O mercado oferece sempre opções que podem te ajudar, economizando tempo e dinheiro.
  • Insatisfação permanente e complacência zero com desperdício é fundamental, seja de água ,tempo ou dinheiro. Invista em produtividade e agilidade.
  • Aperfeiçoamento, ensino e educação são parte da rotina e não de eventos esporádicos.
  • Senso de urgência e pró-atividade são catalisadores de toda e qualquer inovação.

 Lucro:

  • Seja paranóico. Custos e despesas são uma das poucas variáveis que temos 100% de controle.
  • As oportunidades estão na operação e no mercado. Gaste a sola do sapato.
  • Nada substitui o lucro. Só o lucro atraí investidores e retém gente boa.
  • Tudo tem que ter um dono, com responsabilidade e autoridade. Debates são positivos, mas, alguém deve tomar a decisão e assumir o risco.

A mídia nos oferece grande volume de líderes que através de sua gestão deixaram uma marca pessoal no mercado onde atuam. Mas, se eles não fossem capazes de levar esta gestão para toda a empresa, influenciando sua cultura, não teriam alcançado o sucesso atingido e pior, após sua saída a empresa poderia retroceder e perder o espaço conquistado.

Se você pensa que estes acontecimentos são fruto pós Revolução Industrial ou Mal do Século XXI, engana-se.

O Antigo Testamento na Bíblia, já registra no Livro de Juízes as mazelas enfrentadas pelo povo hebreu ao se afastar da cultura – ou diretrizes – que haviam recebido de Deus,assim surgiam os juízes, que governavam o povo de volta para estas orientações e então, para a prosperidade. Porém, quando estes juízes saíam de cena, o povo voltava ao antigo comportamento e se iniciava um novo ciclo de mazelas, até um novo juiz assumir.

Porém, o Novo Testamento, mostra que Jesus conseguiu com sucesso deixar como legado uma profunda alteração cultural, que após 2.000 anos ainda tem o vigor original, mantendo um norte e sobrevivendo aos modismos, pressões e tendências.

A Cultura deve sobreviver aos líderes e ser parte da vida da empresa, para assim garantir que  esta prospere muito além do que planejaram seus fundadores.